Faça parte da rede aqui!
Fique por dentro das últimas notícias, eventos, debates e publicações científicas mais relevantes.

PNS 2019: Quem mais utiliza o SUS avaliou mais positivamente a qualidade dos serviços de Atenção Primária à Saúde

Foi publicado o segundo volume de resultados da Pesquisa Nacional de Saúde PNS 2019 que contempla os eixos temáticos de avaliação dos serviços prestados em Atenção Primária à Saúde e dados antropométricos essenciais para o monitoramento do estado nutricional.

A pesquisa foi realizada em parceria entre o IBGE, a Secretaria de Atenção Primária à Saúde e o Ministério da Saúde. No eixo de avaliação da APS foi usada a versão adaptada e reduzida do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: primary care assessment tool, PCATool-Brasil.

Participaram na pesquisa 17,3 milhões (10,7%) de pessoas de 18 anos ou mais de idade que consultaram pelo menos duas vezes com o mesmo médico, nos seis meses anteriores à data da entrevista, em Unidade Básica de Saúde (UBS) ou Unidade de Saúde da Família (USF). Entre elas, 69,9% eram mulheres; 60,9% eram pretas ou pardas; 53,8% não tinham uma ocupação; 64,7% tinham renda domiciliar per capita inferior a um salário mínimo e 32,4% de 1-3 salários mínimos.

O escore geral (numa escala 0-10) obtido pela Atenção Primária à Saúde no Brasil, em 2019, foi 5,9. O que indica que está um pouco abaixo do escore considerado nesta metodologia como de excelência em APS: ≥ 6,6.

Entre este conjunto de participantes na pesquisa, 76,5% estavam cadastrados em Unidade de Saúde da Família. Os moradores de domicílios cadastrados atribuíram uma nota de 6,0 à APS, enquanto os moradores de domicílios não cadastrados deram uma nota de 5,5. Os moradores que receberam visita de um agente comunitário ou algum membro da equipe de saúde avaliaram relativamente melhor a APS (escore 6,1) do que aqueles que não receberam nenhuma visita (escore 5,7).

Os usuários idosos com mais morbidades e que são os que mais utilizam os serviços de saúde avaliaram a APS com notas superiores (6,1) do que adultos de 18-39 anos (5,6) e adultos de 40-59 anos (5,9). Usuários que que referiram doença do coração avaliaram a APS com nota 6,4; usuários que referiram diabetes 6,3; usuários que referiram hipertensão, 6,2; usuários que referiram depressão, 6,1; notas superiores aos que não possuem estas morbidades.

No eixo de informações antropométricas o estudo apontou que em 2019 cerca de 25,9% da população do país com 18 anos ou mais de idade (41,2 milhões de pessoas) estavam obesas. Entre elas 29,5% eram mulheres, 21,8% homens; e 6,7 eram adolescentes.

Acesse o texto na integra com os resultados da PNS 2019 Atenção Primária à Saúde e informações antropométricas na biblioteca do IBGE no link a seguir https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101758

 

Por Diana Ruiz – doutoranda que contribui para a REDE APS

Rede APS

Você deve estar logado para postar um comentário

%d blogueiros gostam disto: