Faça parte da rede aqui!
Fique por dentro das últimas notícias, eventos, debates e publicações científicas mais relevantes.

Grupos de Pesquisa no Brasil

A seguir você terá acesso a uma lista dos principais grupos de pesquisa em APS no Brasil, junto com seus dados de contato:

 

O Grupo de Estudo e Pesquisa na Atenção Primária em Saúde na Amazônia (GEP – APS), implantado em 2018, constitui-se em um grupo multidisciplinar/ multiprofissional. Formado por professores da Universidade Federal do Pará (UFPA). Atualmente, o grupo reúne 9 pesquisadores e alunos da graduação e pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado).

Sob a coordenação de Carlos Leonardo Figueiredo Cunha e Helder Henrique Costa Pinheiro, os integrantes do grupo desenvolvem pesquisas nas áreas de Análise e Avaliação de Serviços, Programas de Saúde e Políticas Públicas de Saúde e Vigilância em Saúde na Atenção Primária à Saúde.

Contatos: leocunhama@gmail.com   helderpinheiro@gmail.com

__________________________________________________________________________________________

O Grupo de Estudos e Pesquisa em Atenção Primária à Saúde – GEP/APS é fruto das experiências com atividades de estudos, pesquisas e qualificação de profissionais de saúde na área de APS oriundas do Núcleo de Assessoria, Treinamento e Estudos em Saúde – NATES (1995) e do Programa de Pósgraduação em Saúde Coletiva (2007) da Universidade Federal de Juiz de Fora/ Minas Gerais. Consiste num espaço de integração multiprofissional e interinstitucional com o objetivo de promover estudos, pesquisas e discussões
relativas a APS, com vistas a compreender as dinâmicas práticas e organizativas do cuidado em saúde neste nível de atenção, bem como em suas articulações sistemáticas com a rede de atenção à saúde local e regional. Sediado no NATES/UFJF, o GEP/APS-UFJF agrega participantes com representação de docentes, pesquisadores, discentes (graduação e pós-graduação) e profissionais do serviço. Atualmente, desenvolve os seguintes Temas/Projetos: Avaliação da Qualidade em APS 9 atributos da APS e PMAQ-AB); Avaliação de
Programas e Serviços de APS e Saúde da Família (gestão, organização, trabalho em equipe);Avaliação da Atenção Básica no Município (Manual, produto PROESF/2005); Avaliação da Efetividade da APS(prevalência e gastos das ICSAPS);Avaliação da APS na Perspectiva do Usuário (foco nos Itinerários Terapêuticos); Regionalização, Redes e Fluxo Assistencial com foco na APS; Avaliação do ensino da APS nos cursos de graduação e residência em Saúde da Família.
Contato: Estela Marcia Saraiva Campos(coordenação)estela.marcia.campos@gmail.com
Sergio Xavier de Camargo (vice-coordenação) sergio.camargox@gmail.com
Telefone: (032)2102-3830 


http://www.ufmg.br/online/arquivos/anexos/20091216_logo_ufmg.pngObservatório de Recursos Humanos em Saúde da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG, implantando em 2005,  permitiu a criação de um espaço voltado à reflexão, debate e proposição de estudos e pesquisas aplicados à gestão de recursos humanos e avaliação de políticas públicas em saúde,  tendo como espaço privilegiado a Atenção Primária. O conjunto de estudos e pesquisas desenvolvidos, com apoio de editais das principais agências de fomento e organismos internacionais,  além da parceria com diferentes atores públicos, consolidaram sua proposta de atuação  voltada à geração de informações, análises  e políticas e ações na esfera pública da saúde.

Site: www.face.ufmg.br/observatorio
Contato: observatorio@face.ufmg.br


 

O Grupo de Pesquisa em Epidemiologia-Observatório de Saúde Urbana de Belo Horizonte (GPE-OSUBH-FMUFMG) atua há mais de uma década como um espaço de reflexão e produção científica da epidemiologia e saúde coletiva sobre o tema saúde urbana, com foco nas iniquidades em saúde no contexto das cidades.  Nesse campo de atuação estabeleceu parcerias nacionais (Ministério da Saúde-Secretaria de Vigilância em Saúde, Fundação FIOCRUZ e OPAS) e internacionais (Kobe Center – WHO Centro de Assuntos Urbanos, Universidade de Michigan, Observatório de Saúde Pública da Bloomberg Johns Hopkins School of Public Health e Observatório de Saúde Pública de Londres-London Health Observatory). Também, durante todos esses anos, como parte de sua missão, atua no processo de formação de alunos de graduação, mestrado e doutorado de Programas de Pós-Graduação da UFMG, com destaque no Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública. Alberga acadêmicos, profissionais, técnicos e estudantes em diversos níveis de e em formação pertencentes à diversas áreas de conhecimento da saúde e também daquelas que, relacionadas à saúde, vão além do setor saúde, tal como urbanismo, planejamento, estatística, geografia, dentre outros. Mais recentemente, dada à natureza multidisciplinar e intersetorial do campo de estudos em saúde urbana, o GPE-OSUBH incluiu, como importante área de investigação, a avaliação dos serviços de saúde, particularmente focados na Atenção Primária em Saúde. Nesta ótica, o entendimento do OSUBH é que a Atenção Primária em Saúde é uma área de estudo essencial na compreensão das iniquidades em saúde, objetivando sua redução, e incorporando-a como uma linha de pesquisa.

Site: http://www.medicina.ufmg.br/osubh
Contato: veneza@medicina.ufmg.br

 


Grupo Brasileiro de Estudos sobre Multimorbidade (GBEM) é uma iniciativa de pesquisadores interessados no avanço do conhecimento sobre a multimorbidade no Brasil – o qual ainda é incipiente. A articulação de um grupo de estudos através de uma rede de colaboração poderá otimizar os esforços para o entendimento das causas, consequências, ocorrência e desafios para o manejo adequado da multimorbidade no país. Os objetivos do grupo incluem diferentes linhas de estudo e pesquisa, a saber: Manejo clínico da multimorbidade; Avaliação e criação de protocolos clínicos; Validação de escalas e instrumentos; Formação de profissionais de saúde relacionada à multimorbidade; Educação permanente; Epidemiologia da multimorbidade no Brasil, incluindo estudos de ocorrência, clusters de doenças, causas, consequências e tendência temporal do problema. Além de dados já disponíveis, diferentes parcerias vêm sendo realizadas para obtenção de dados primários para avaliação da multimorbidade. O grupo foi criado por pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e Universidade Federal de Goiás (UFG).

Grupo CNPq: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1494764101214972

ResearchGate: https://www.researchgate.net/project/GBEM-Grupo-Brasileiro-de-Estudos-sobre-Multimorbidade-Brazilian-Group-of-Studies-about-Multimorbidity

Homepage: http://wp.ufpel.edu.br/gbem

Contato: gbemulti@gmail.com


C:\Users\Inaiara\Desktop\SITE\universidadesSITE\logo_regional_catalão.jpgGrupo de Pesquisa Política e Política Pública de Saúde (DGP CNPq) da Universidade Federal de Goiás (UFG) possui 9 pesquisadores. Atua nas linhas de pesquisa de Política Pública e Avaliação em APS. Efetua entrevistas sobre elaboração e gestão de políticas de APS junto ao DAB/MS e SMS-Goiânia, e aplica surveys para atores de linha de frente (equipe, gestores e usuários) nas UABSF de Goiânia (mais três cidades serão adicionadas), gerando novos indicadores na área. 

Site: http://politicaesaude.wix.com/grupodepesquisa

Contato: fabianasaddi1@gmail.com 

Telefone: (62) 82885415


C:\Users\Inaiara\Desktop\SITE\universidadesSITE\UFRGS.jpg

Grupo de Pesquisa em Atenção Primária à Saúde de Porto Alegre trabalha na produção de conhecimento para APS e Medicina de Família e Comunidade. Trata-se de um grupo multidisciplinar/multiprofissional, formado por professores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e alunos de graduação e de pós-graduação da instituição. Foi constituído em 2002, tendo como ponto de partida a pesquisa “Avaliação da atenção à saúde infantil do Programa Saúde da Família na região sul de Porto Alegre, Brasil”. Essa investigação produziu a validação da versão infantil do instrumento Primary Care Assessment Tool (PCATool) no país.

Hoje o grupo reúne cerca de 20 alunos de pós-graduação entre mestrado, mestrado profissional e doutorado. Sob a coordenação de Erno Harzheim e Bruce Bartholow Duncan, os integrantes do grupo desenvolvem pesquisas no contexto da APS com enfoque em pesquisa básica, pesquisa clínica, pesquisa de serviços e sistemas de saúde, telessaúde, além da avaliação de tecnologias em APS e de estratégias de desenvolvimento profissional contínuo.

Sitewww.ufrgs.br


C:\Users\Inaiara\Desktop\SITE\universidadesSITE\UFRN.jpg

Grupo Estudos em Saúde Coletiva (ESCOL /CNPq) liderado pela pesquisadora Severina Alice da Costa Uchoa, da Universidade Federal do  Rio Grande do Norte(UFRN),  possui 25 pesquisadores. Atua nas áreas de Avaliação de Políticas,  Programas e Serviços de Saúde (PMAQ-AB, PNASS);  Meta-avaliação Humanização da Atenção a Saúde; Atenção Primária em Saúde  (gestão, organização, trabalho em equipe e satisfação dos usuários.

Site: www.ufrn.br

Contato: alicedacostauchoa@gmail.com


C:\Users\Inaiara\Desktop\SITE\universidadesSITE\brasao_ufsc_80.png

NEPAS (Núcleo de Extensão e Pesquisa em Avaliação em Saúde) realiza pesquisas avaliativas em diversos temas de interesse aos gestores, trabalhadores e usuários do Sistema Único de Saúde.Entre os objetos de pesquisa estão: Avaliação da Gestão da Saúde Bucal na Atenção Básica, Avaliação da Gestão da Atenção Básica em Santa Catarina, Avaliação da Gestão em Saúde Bucal de Municípios de Grande Porte.O Projeto de Avaliação da Atenção Básica teve início em consultoria à Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, em 2004, como parte do PROESF, no componente de Fortalecimento da Avaliação e Monitoramento. A compreensão de que os níveis estratégicos, táticos e operacionais do sistema de saúde deveriam ser envolvidos no processo norteou a proposta de construção do modelo de avaliação adotado.

Site: http://nepas.ufsc.br

Contato: nepas@ccs.ufsc.br


  

Grupo de Pesquisa AQUARES – Avaliação em Saúde  – utiliza os fundamentos da Saúde Coletiva e da Epidemiologia na avaliação da Atenção Primária à Saúde e da Saúde da Família, incluindo avaliações do desempenho e do impacto de serviços e políticas de saúde de âmbito nacional, em parceria com o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde. É coordenado pelo professor Luiz Augusto Facchini, do Departamento de Medicina Social (DMS) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e conta com profissionais de diversas áreas, além de alunos de graduação e pós-graduação da Universidade, possibilitando um trabalho interdisciplinar e abrangente.Iniciou suas atividades em 2004, com o Estudo de Linha de Base do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (ELB-PROESF). O Grupo também atua na área de Saúde do Trabalhador. Outro destaque é a realização de Curso de Especialização em Saúde da Família, modalidade a distância,  da rede UNA-SUS. O Grupo participa da proposta de Rede Nacional de Mestrados Profissionais em Saúde da Família, submetida à CAPES.

Site: http://dms.ufpel.edu.br/aquares

Contato: luizfacchini@gmail.com


C:\Users\Inaiara\Desktop\SITE\universidadesSITE\logoENSP.jpg

O grupo Pesquisas em Atenção Primária à Saúde certificado pelo CNPq, sediado na Ensp/Fiocruz, agrega pesquisadores e estudantes de instituições parceiras: Ensp, USP, UFBA, UFF, UFOPA. Trabalha regular e cooperativamente desenvolvendo pesquisas com foco na atenção primária à saúde, em perspectiva nacional e internacional, com diversas abordagens metodológicas, abrangência e escopo. O grupo tem como missão a produção de conhecimentos e formação de recursos humanos em análise de políticas de saúde, avaliação de programas e organização de sistemas e serviços de saúde, com ênfase na atenção primária à saúde (APS). Participa ativamente dos processos nacionais de avaliação da atenção básica no país, divulga contribuições e debate os rumos da Política Nacional de Atenção Básica. Desenvolveu estudos sobre a implementação da Estratégia Saúde da Família em grandes centros urbanos e analisou a efetivação de atributos da APS em diferentes contextos. Suas pesquisas mais recentes enfocam a posição da APS na coordenação do cuidado e na ordenação das redes nas regiões de saúde.

Pesquisadores: Ligia Giovanella (Ensp), Maria Helena Magalhães de Mendonça (Ensp), Aylene Bousquat (USP), Márcia Cristina Rodrigues Fausto (Ensp), Patty Fidelis de Almeida (UFF), Cleide Lavieri Martins (USP), Eduardo Alves Melo (Ensp e UFF), Helena Maria Seidl (Ensp), Adriano dos Santos Maia (UFBA), Juliana Gagno de Lima (UFOPA)

Site: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2727810522409267

Contato: giovanel@ensp.fiocruz.br


C:\Users\Inaiara\Desktop\SITE\universidadesSITE\GHC.gif

Junto à tradição na prestação de assistência integral à saúde, o Grupo Hospitalar Conceiçãocaracterizou as atividades de pesquisa e de ensino como prioritárias dentro de sua missão institucional. Desta forma torna-se necessária a definição de concepções claras que direcionem o desenvolvimento de ambos.   Estas concepções norteadoras podem ser expressas na forma de Linhas de Pesquisa Institucionais do GHC. Devendo as mesmas contemplar as questões centrais da assistência à saúde no Brasil como:

a) Abordagem das necessidades do SUS;

b) Potencial de desenvolvimento de processos de avaliação, capacitação e racionalização de recursos quanto ao atendimento à demanda, qualificação de recursos humanos e adequação tecnológica.

c) Apresentação à população brasileira da relevância pública dos serviços prestados pela Instituição;

d) O desenvolvimento da pesquisa científica de cunho epidemiológico, clínico e social em saúde, protocolos ou diretrizes de cuidados e de avaliação da incorporação de novas tecnologias.

Site: http://www.ghc.com.br


C:\Users\Inaiara\Desktop\SITE\universidadesSITE\unicamp.jpg

Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp destaca-se nacionalmente graças a pesquisa de alta tecnologia realizada em seus diversos departamentos.Com o apoio de 20 secretarias municipais de saúde e dos governos Federal e Estadual o projeto de pesquisa na macrorregião de Campinas sobre as Práticas Integrativas e Complementares (PIC) nos serviços de Atenção Primária, como: homeopatia, acupuntura, fitoterapia, práticas corporais, práticas meditativas e outras. A pesquisa será conduzida pelo Laboratório de Práticas Alternativas Complementares e Integrativas em Saúde (Lapacis) da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp e terá duração de aproximadamente dois anos.

Site: http://www.unicamp.br/unicamp


http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/arquivos/ckeditor/images/R_Redes_logo_esq_2014.jpg

Grupo de Pesquisa Atenção primária em saúde nas regiões e redes de saúdetrabalha executa seu trabalho como uma dimensão da pesquisa Política, Planejamento e Gestão das Regiões e Redes de Atenção à Saúde no Brasil. É coordenado pela Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e conta com pesquisadores (pós graduandos e docentes) das seguintes instituições: FSP-USP, FMRP-USP Unifesp, Fiocruz, UFJF, UFBA, UFC, UFMT, UNISANTOS e UFF, contando com um total de 27 pesquisadores envolvidos. Desenvolve pesquisas com enfoque no sistema de saúde e nos serviços ofertados com objetivo de Analisar o papel da Atenção Primária S como coordenadora das ações e serviços nas redes de atenção à saúde nas regiões, e a capacidade de articulação da APS, em especial da Estratégia de Saúde da Família, com outras políticas públicas e programas sociais. Pretende-se apreender as características de funcionamento dos modelos de APS dentro do contexto de Regiões e Redes, visando o atendimento das necessidades de saúde das pessoas, famílias e comunidades assistidas em Regiões e Redes de Saúde no Brasil.

Site: resbr.net.br

Contato : Ana Luiza D’Ávila Viana (analuizaviana@usp.br)


https://bemvimi.files.wordpress.com/2011/06/logo-unifesp-75-concurso1.png

Grupo de Pesquisa “Mente Aberta” (Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção da Saúde) de São Paulo (UNIFESP) trabalha na produção de conhecimento sobre as intervenções psicossociais baseadas em “mindfulness” (“atenção plena”) enquanto intervenções complexas voltadas à promoção da saúde e ao manejo de condições clínicas crônicas, com foco na implementação dessas intervenções na sociedade e em sistemas de saúde, em especial, na APS.

Trata-se de um grupo multidisciplinar/multiprofissional, formado por professores da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Universidad de Zaragoza (Espanha), e alunos de graduação e de pós-graduação dessas instituições. Hoje o grupo reúne cerca de 25 pesquisadores e alunos de graduação e pós-graduação (mestrado, mestrado profissional, doutorado, e pós-doutorado). Sob a coordenação de Marcelo Demarzo e Javier García-Campayo, os integrantes do grupo desenvolvem pesquisas no contexto da Promoção da Saúde, Sistemas Universais de Saúde e APS, com enfoque em pesquisa básica (mecanismos), pesquisa clínica, pesquisa de serviços e sistemas de saúde, implementação de “intervenções complexas”, além da avaliação de tecnologias e de estratégias de formação e desenvolvimento profissional contínuo.

Site: www.mindfulnessbrasil.com

Contato: Marcelo Demarzo (demarzo@unifesp.br)


GEGES juntamente com o LUPA-Saúde (Laboratório Universitário de Planejamento em Saúde), ambos do Instituto de Saúde Coletiva da UFF, tem desde suas criações em 1999, uma grande inserção em redes de serviços de saúde. O processo de Integração de Ensino-Serviço envolvendo a UFF e a SMS – Niterói (atual FMS) teve início no final dos anos 70, constituindo-se em experiências valiosas para as modificações dos modelos de Ensino e de Assistência. Os pesquisadores filiados têm uma produção teórica e intervenção em redes de serviços, especialmente voltadas para a área de planejamento, gestão, avaliação, educação e formação em saúde. A partir de 2001 iniciou-se uma linha de produções teóricas sobre a Saúde Suplementar e a Avaliação em Saúde sob a ótica da Integralidade, inaugurando novos recortes analíticos a partir da discussão de modelo assistencial, gestão e micro-regulação no setor saúde.

Site: http://www.uff.br

Contato: Nínive Santos (santos.ninive@gmail.com)


C:\Users\Inaiara\Desktop\SITE\universidadesSITE\UFRJ.jpg

Universidade Federal do Rio de Janeiro conta com os seguintes cursos e estágios ligados ao desenvolvimento da pesquisa e do ensino da APS: residência médica em MFC, vinculada ao HUCFF, com 12 vagas anuais, residências multiprofissional em SF e em Saúde da Mulher, com 20 vagas anuais, vinculadas ao HESFA, residência em enfermagem de saúde da família e comunidade, vinculada à EEAN, com 20 vagas anuais, mestrado profissional em APS, vinculado à FM/HESFA, com 30 vagas anuais. Internato em MFC-Saúde Mental-Saúde Coletiva com carga horária de 32h semanais durante 4 meses com 192 vagas anuais. Todos os estágios e pesquisas são realizadas em cooperação com a SMSRJ nas Clínicas da Família das Áreas Programáticas 1 e 3.1 do município do Rio de Janeiro.

Responsável da Pós Graduação do DMFC – Carlos Eduardo Aguilera Campos

Site:/https://ufrj.br/

Contato: cadu@medicina.ufrj.br


                                                                 

Grupo de Estudos e Pesquisa em Saúde Coletiva liderado pela pesquisadora Solange Conceição Albuquerque de Cristo, da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, atua nas áreas de Avaliação de Políticas, Programas e Serviços de Saúde. Desenvolve estudos analíticos e avaliação de políticas, programas e serviços na regionalização do sistema de saúde enfatizando as relações entre as esferas de governo, entre gestores e prestadores, entre SUS e o sistema suplementar, assim como realiza análises sobre o processo de gestão participativa na saúde. A Atenção Primária em Saúde é estratégica nos estudos do grupo sobre o Sistema de Saúde Pública na Amazônia, privilegiando o processo de análise e compreensão do acesso do usuário a rede de saúde.

Site: https://www.unifesspa.edu.br

Contato: solarcristo@unifesspa.edu.br


 

Grupo de Pesquisa em Saúde & Políticas Públicas credenciado pelo CNPq foi criado em 2009 e é composto pela instituição proponente Fundação João Pinheiro – FJP e pelas instituições associadas Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ- RJ e Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes. Conta com uma equipe de pesquisadores doutores, mestres e estudantes de graduação e pós-graduação e realiza estudos e pesquisas nas áreas de acesso aos serviços de saúde, critérios alocativos de recursos financeiros do SUS e avaliação do Programa Mais Médicos, com foco na Atenção Primária de Saúde. Atualmente, desenvolve a pesquisa Índice de Priorização de Investimento de Recursos Financeiros na Atenção Primária de Saúde do SUS, em todo território nacional, com o apoio do CNPq.

Coordenação: Prof. Dr. Murilo Fahel – murilofahel@fjp.mg.gov.br

Prof. Dr. Silvio Ferreira Júnior -silvio.junior@fjp.mg.gov.br

Site:   http://www.fjp.mg.gov.br/index.php/saude-politicas-publicas

 

%d blogueiros gostam disto: