Faça parte da rede aqui!
Fique por dentro das últimas notícias, eventos, debates e publicações científicas mais relevantes.

Pesquisa :Desafios da Atenção Básica no Enfrentamento da Pandemia da Covid-19 no SUS

O Brasil ultrapassou a triste marca de mais de 100.000 brasileiros mortos pela Covid-19. Uma das mais importantes estratégias para tentar diminuir o espraiamento da pandemia e consequentemente o crescimento do número de mortes é uma ação articulada e uníssona dos milhares de serviços de Atenção Primária à Saúde.

O enfrentamento da pandemia Covid-19, além da garantia do cuidado individual requer uma abordagem comunitária de vigilância da saúde. Os serviços de atenção primária do SUS especialmente, as equipes da Estratégia Saúde da Família, por seus atributos de responsabilidade territorial, orientação comunitária e sua forte capilaridade em todo o território nacional são os mais adequados para esta abordagem. Mais que nunca, faz-se necessária a articulação do individual com o coletivo, a atuação integrada no âmbito das unidades de saúde com os territórios, a comunidade e seus equipamentos sociais.

É importante que a reorganização do processo de trabalho na APS no contexto da epidemia se faça de modo a preservar os seus atributos de acesso, longitudinalidade, coordenação do cuidado, abordagem familiar e abordagem comunitária. Ademais, é necessário manter o contato das pessoas com os profissionais de saúde que cuidam delas diariamente, seja para detectar precocemente a infecção por Covid-19, monitorá-la, atender a qualquer outro problema de saúde, garantindo a continuidade dos cuidados e o apoio social aos grupos vulneráveis, ao mesmo tempo em que se garantem as condições de proteção dos trabalhadores e da população. Dialogando com esta necessidade foi realizada a pesquisa “Desafios da Atenção Básica no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no SUS”, conduzida pela USP, Fiocruz, UFBA e UFPEL tendo sido uma iniciativa da Rede de Pesquisa em Atenção Primária da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), e apoio da OPAS.

A pesquisa teve como objetivo identificar os principais constrangimentos e as estratégias de reorganização da atenção primária à saúde/ atenção básica (APS/AB) utilizadas pelas Equipes de APS/AB no enfrentamento da Covid-19 nos municípios brasileiros. No presente relatório divulgamos os primeiros resultados da investigação, esperando que possam ser utilizados pelos gestores e profissionais, contribuindo para a superação da atual crise sanitária

RelatórioDesafiosABCovid19SUS

Relatório com os resultados  para o estado do Rio de Janeiro 

Confecção do relatório: Juliana Gagno Lima, Ligia Giovanella, Aylene Bousquat,Maria Helena Magalhães de Mendonça,Paulo Henrique dos Santos Mota,,César Luiz Silva Júnior, Fúlvio Nedel,Maria Guadalupe Medina,Luiz Augusto Facchini e  Rosana Aquino

O estudo foi  transversal, por meio de um websurvey entre os dias 25 de maio a 30 de junho de 2020 com o objetivo de identificar os principais constrangimentos e as estratégias de reorganização da APS no SUS utilizadas no enfrentamento da Covid-19 .

Leia o relatório  RelatórioEstadual_RJ_24.10.2020 (1)

Apresentação  APS e COVID_Rio de Janeiro_24.10 (1)

 

Relatório com os resultados para Minas Gerais

APS e COVID19_Minas Gerais_03.11

Rede APS

Você deve estar logado para postar um comentário

%d blogueiros gostam disto: