Faça parte da rede aqui!
Fique por dentro das últimas notícias, eventos, debates e publicações científicas mais relevantes.

Conasems mobiliza apoiadores para realização do Censo Nacional das UBS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) convocou os municípios para responderem ao Censo Nacional das Unidades Básicas de Saúde (UBS). O tema foi tratado na live desta semana (5 de junho), na TV Conasems, juntamente com representantes da Secretaria de Atenção Primária à Saúde/Ministério da Saúde e pesquisadores da Rede APS da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

 

Aberto na plataforma e-Gestor APS para todos os municípios, o Censo fará um amplo diagnóstico da atenção prestada nas quase 50 mil UBS do país, assim como levantará informações sobre as condições de infraestrutura, equipamentos, processo de trabalho dos profissionais de saúde e demais ações realizadas no atendimento à saúde da comunidade. Esta semana, a manifestação de interesse dos gestores municipais alcançou mais de 80% dos municípios na plataforma e-Gestor APS, rumo à totalidade das cidades brasileiras.

 

Participaram da live, o coordenador-geral de Programação do Financiamento da Atenção Primária, da Secretaria de Atenção Primária à Saúde/Ministério da Saúde (SAPS/MS), Dirceu Klitzke, o coordenador da Rede de Pesquisa em APS da Abrasco, Luiz Facchini, e a pesquisadora Lígia Giovanella, acompanhados pela diretora financeira do Conasems, Cristiane Pantaleão.

 

Para Cristiane Pantaleão, o resultado do Censo vai permitir discutir com propriedade a distribuição de recursos financeiros na APS, visando a equidade. Ela chamou os apoiadores para participarem deste movimento pensando também no Censo como atividade de educação permanente. “Então aproveitem, é uma oportunidade de que nós, 5.570 municípios, temos de realmente colocar de maneira transparente tudo sobre a oferta de serviços, equipamentos e infraestrutura da Atenção Básica. Não percam a oportunidade de responder… É um questionário, que apesar de extenso, é simples.  Além do profissional respondente, o gestor e o coordenador podem sentar e responder juntos, porque ajudará inclusive a refletir sobre o serviço, refletir sobre o que precisa ser melhorado para alcançar o que está no questionário…Então é uma forma da gente refletir. Eu sempre digo, é mais um momento de educação permanente, que gente faz o tempo todo”, frisou Pantaleão.

 

Sobre a operacionalização do Censo, a diretora financeira do Conasems, Cristiane Pantaleão, chamou a atenção para o papel de mobilização dos apoiadores locais. “Para os apoiadores, que estão me escutando, peço para conversarem com os gestores, debaterem o questionário nas reuniões com os secretários das regiões, ajudem eles a entenderem as perguntas… É um exercício para avaliar a Atenção Básica no município e na Região. Vai ser superinteressante! Toda vez que a gente senta para pensar a Atenção Básica de maneira regional, a gente fortalece a organização da rede. Porque a gente induz cada vez mais a organização da rede da Atenção Básica, que deve coordenar o cuidado das pessoas e organizar a atenção”, apontou Pantaleão.

 

Trabalho colaborativo

 

O coordenador-geral de Programação do Financiamento da Atenção Primária (SAPS/MS), Dirceu Klitzke, ressaltou a mobilização nos estados pelos diversos grupos colaborativos de trabalho para operacionalização do Censo. “Nosso Censo conta com a mobilização da coordenação estadual da APS, dos apoiadores do Conasems, dos Cosems, dos pesquisadores da Rede APS da Abrasco, da equipe da SAPS, da equipe do Conass, para prepararmos os respondentes do Censo para o retrato fiel da APS do país”, ressaltou.

 

O coordenador da Rede de Pesquisa APS da Abrasco, Luiz Facchini, ressaltou que o Censo não é um instrumento para ranquear os municípios, mas um diagnóstico da principal porta de entrada do SUS. “O Censo possibilita uma síntese de tudo que ocorre no cotidiano dos nossos serviços, e toda essa informação subsidiará os gestores municipais, estaduais, federal para apoiar no planejamento dos investimentos para beneficiar a APS no país”, ressaltou.

 

A pesquisadora Lígia Giovanella ressaltou que o questionário do Censo reflete os princípios do SUS e ressalta a importância da atuação da Estratégia Saúde da Família. “Esse questionário de coleta de dados reflete além dos princípios do SUS, os atributos e as diretrizes da APS, especialmente, os atributos da Estratégia Saúde da Família expressos nas dimensões de avaliação do Censo”, explicou.

 

Confira a live na TV Conasems – https://www.youtube.com/watch?v=nqOsTsisGHc

 

 Para os municípios que ainda não manifestaram interesse, ainda há tempo!

🎯 O link para acessar a manifestação de interesse é https://acesso-egestoraps.saude.gov.br/login

 

Crédito texto – Rede de Pesquisa APS/Abrasco

Rede APS

Você deve estar logado para postar um comentário